Tecido inteligente
Tecido inteligente

Tecido inteligente

A tecnologia têxtil aplicada aos uniformes esportivos tem evoluído muito ao longo dos últimos 100 anos. Dos tecidos de algodão aos tecidos nanotecnológicos, o caminho percorrido tem acompanhado a exigência dos ganhos de desempenho do atleta. Os materiais que eram utilizados separadamente pelos atletas, como uso de protetores solares, hidratantes, antiodores, antiinsetos, antimicrobiais e outros agora estão embutidos no tecido, além das características próprias dos tecidos; como secagem acelerada, leveza, caimento e sensação de conforto estético, térmico e resistência.

A Nike, fornecedora dos uniformes da seleção Brasileira de futebol, usa o conceito DRYFIT: tecido misto de poliéster e poliamida com acabamento químico nanotecnológico que confere os efeitos de proteção UV-A e UV-B, ação antimicrobial, ação hidratante, antiinseto e demais citadas acima. A tecnologia embarcada nesses materiais é a nanotecnológica de microencapsulamento, onde as substâncias químicas que promovem os efeitos são encapsuladas e liberadas conforme o atrito pele e tecido aumenta e conforme a temperatura do corpo e os níveis de sal do suor atingem determinados limites.

A nanotecnologia de prata, que confere ação antimicrobial não é micro-encapsulada nem é liberada no corpo do atleta, mantendo-se nos limites da fibra têxtil. A dispersão de prata nanométrica, faz com que os micro-organismos prejudiciais se mantenham afastados dos tecidos, prevenindo o desenvolvimento de mau cheiro e a higiene do uniforme. As entradas embutidas nas camisetas visam melhorar a ventilação para conferir conforto térmico e melhorar a secagem da fibra, aumentando o desempenho físico do atleta.

NANOTECNOLOGIA

Desenvolvida para potencializar a capacidade de construir estruturas, geralmente com medidas que variam entre um e cem nanômetros (dimensões microscópicas), ela permite uma nova revolução industrial. A base da nanotecnologia é a possibilidade de não apenas oferecer produtos aperfeiçoados, mas também uma ampla variedade de melhores meios de produção. Nesta procura é que surgiu a ultima revolução industrial, nanotecnológica, similar ou maior que a feita pela informática. Isso porque a técnica permite fabricar produtos qualificados e com custo reduzido. Nos têxteis, a nanotecnologia esta presente desde o ano 2001, tendo iniciado com produtos baseados em prata nanodispersa, que visa proteger materiais suscetíveis a desenvolverem mofos, mau cheiro e proteção contra micróbios.

18.07.2014